Quinta-feira, 8 de Março de 2007

Dia da Mulher - um poema

 

Mulher Nua

Mulher andando nua pela casa
envolve a gente de tamanha paz.
Não é nudez datada, provocante.
É um andar vestida de nudez,
inocência de irmã e copo d'água.
O corpo nem sequer é percebido
pelo ritmo que o leva.
Transitam curvas em estado de pureza,
dando este nome à vida: castidade.
Pêlos que fascinavam não perturbam.
Seios, nádegas (tácito armistício)
repousam de guerra. Também eu repouso
.

 


in "O Amor Natural" , Carlos Drummond de Andrade
Ilustração de Milton DaCosta

tags:
publicado por Carpinteira às 16:54
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Mudança provisória

. Poema de aniversário

. Medo

. Urbe eclesiástica

. Desencontros

. Avaliação de desempenho

. Guernica 26 de Abril de 1...

. Dia do livro

. Regresso

. A bicicleta

.arquivos

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds